serviços oferecidos

CLIQUE PARA VER MAIS DETALHES:

1. Análise de Pureza

1. Análise de Pureza

O objetivo da análise de pureza é determinar a composição da amostra em exame e, consequentemente, a do lote de sementes, separando a amostra em três componentes: semente pura, outras sementes e material inerte.

2. Determinação de Outras Sementes por Número

2. Determinação de Outras Sementes por Número

Estimar o número de sementes (inclusive bulbilhos e tubérculos) de outras espécies presentes na amostra de trabalho: cultivadas, silvestres e nocivas (proibidas e toleradas).

3. Verificação de Outras Cultivares

3. Verificação de Outras Cultivares

Determinar o número de sementes de outras cultivares presentes na amostra de trabalho.

4. Teste de Germinação

4. Teste de Germinação

Determinar o potencial máximo de germinação de um lote de sementes, o qual pode ser usado para comparar a qualidade de diferentes lotes e também estimar o valor para semeadura em campo.

Em laboratório considera-se plântula normal a que apresenta a estrutura de raiz e parte aérea desenvolvida, demonstrado aptidão de produzir uma planta normal sob condições favoráveis de campo.

5. Teste de Tetrazólio

5. Teste de Tetrazólio

Tem por objetivo avaliar, rapidamente, a viabilidade e o vigor das sementes, informando ainda a ocorrência de danos por insetos e por umidade, bem como detectar danos mecânicos de colheita e/ou beneficiamento.

6. Teste de Envelhecimento Acelerado

6. Teste de Envelhecimento Acelerado

É um teste de vigor com o objetivo de identificação de diferenças na qualidade fisiológica dos lotes, principalmente entre os que possuem poder germinativo semelhante. Permite distinguir, com segurança, lotes com maior ou menor probabilidade de apresentar bom desempenho após a semeadura e/ou durante o armazenamento.

7. Determinação do Grau de Umidade

7. Determinação do Grau de Umidade

Tem por objetivo determinar o teor de água das sementes, fator que afeta a qualidade fisiológica e sanitária de um lote de sementes.

8. Exame de Sementes Infestadas

8. Exame de Sementes Infestadas

O objetivo é determinar a percentagem de sementes de um lote, que se encontram danificadas por insetos (gorgulhos, traças, carunchos etc).

9. Peso de Mil Sementes

9. Peso de Mil Sementes

É uma informação que dá ideia do tamanho das sementes, assim como de seu estado de maturidade e sanidade. Pode ser utilizada para o cálculo do número de sementes por embalagem e para determinar a quantidade de sementes para semeadura.

10. Teste a Frio sem Solo

10. Teste a Frio sem Solo

É um teste de vigor utilizado em milho para avaliar e detectar diferenças significativas na qualidade fisiológica de lotes com germinação semelhante, complementando as informações fornecidas pelo teste de germinação.

11. Detecção de Organismo Geneticamente Modificado (OGM)

11. Detecção de Organismo Geneticamente Modificado (OGM)

Determinar a presença de Organismos Geneticamente Modificados em amostras de cultivares convencionais (não transgênicas).

12. Determinação de Danos Mecânicos

12. Determinação de Danos Mecânicos

Tem por objetivo verificar a percentagem de sementes de uma amostra, que apresentam danos resultantes do impacto físico durante as operações de colheita, beneficiamento e transporte de sementes.

13. Patologia de Sementes (Micologia)

13. Patologia de Sementes (Micologia)

Determinar a presença de fungos em uma amostra de sementes e, consequentemente, do lote que representa, obtendo-se, assim, informações que podem ser usadas para diferentes finalidades como comparar a qualidade sanitária de diferentes lotes de sementes e a necessidade do tratamento das sementes.

14. Análise de Sanidade

14. Análise de Sanidade

Espécies sanidade Forrageiras

 
Código
RNC
 
Nome Comum
 
Nome Científico
 
 
70
 
Aveia-amarela
Aveia-branca
 
 
Avena sativa L., incluindo Avena byzantina K. Koch
 
639
 
Aveia-preta
 
Avena strigosa Schreb.
 

Espécies sanidade GC

 
Código
RNC
 
Nome Comum
 
Nome Científico
 
2
 
Arroz
 
Oryza sativa L.
 
71
 
Centeio
 
Secale cereale L.
 
25
 
Cevada
 
Hordeum vulgare L.
 
4
 
Feijão
 
Phaseolus vulgaris L.
 
5
 
Milho
 
Zea mays L.
 
6
 
Soja
 
Glycine max (L.) Merr.
 
8
 
Trigo
 
Triticum aestivum L. (= Triticum sativum)
 
69
 
Triticale
 
Triticosecale Wittm. ex A. Camus

Espécies sanidade hortaliças

 
Código
RNC
 
Nome Comum
 
Nome Científico
 
15
 
Cebola
 
Allium cepa L.